Para GAAF (Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família)

Leia este testemunho anónimo de uma psicóloga que usou o nosso programa para despistar situações de risco:

Sou psicóloga clínica, escolar e comunitária num agrupamento TEIP (Território Educativo de Intervenção Prioritária) em bairros sociais. Descobri o Ginja em 2021 e achei muito interessante. Tinha vontade de desenvolver o meu próprio programa sócio-emocional, mas como este já estava feito e disponível, só precisava adaptar às idades. Apresentei o programa ao diretor, que deu o seu aval e adquirimos o programa.

Implementei o programa no 1º ano com uma sessão por semana. Eu vou às turmas em horário curricular, mostro os vídeos e faço as actividades com as crianças. Elas adoram e chamam-me "A professora das emoções." Quando não consegui ir lá durante um mês, perguntavam todos os dias à professora "Quando é que volta a professora das emoções?"

Eu usei também uma caixinha para fazermos teatro. Quando acontece alguma coisa na vida das crianças, elas podem ir à caixa do teatro e dizer aos fantoches como se sentem e porquê. Identifiquei 15 situações de crianças em risco diretamente graças ao programa do Ginja, algumas delas que sinalizei à CPCJ . Destas crianças em risco, uma sofria de violência doméstica e outra de abuso sexual. Estas crianças têm 6 anos! Apesar da dor que senti ao descobrir o abuso, é uma vitória conseguir que elas o digam para as podermos pôr a salvo.

Recomendo o Ginja como ferramenta de trabalho a todas as psicólogas escolares e comunitárias.

Como posso usar?

Educadores e profissionais podem usar uma sessão gratuita, que consiste num vídeo, numa canção, em sugestões de conversa e numa actividade manual. Se precisar de mais informações ou esclarecimentos, contacte-nos.