Histórias verídicas

Aqui estão algumas histórias verídicas sobre como crianças usam alguns episódios do Ginja, publicadas com autorização dos encarregados de educação. A ideia é serem as crianças a ensinar e inspirar outras crianças.

mãe e filha

Era uma vez uma menina de 8 anos que às vezes tinha medo do escuro. Sentia medo sobretudo quando a mãe à noite lhe pedia para ir buscar alguma coisa do outro lado da casa. O problema era que, com as luzes desligadas, ela pensava que podia estar lá um ladrão... Depois de ver o episódio 3 e com ajuda da mãe, ela percebeu que sentia medo por causa de um acontecimento: as luzes desligadas! Então decidiu mudar o acontecimento. Ao acender as luzes, via que não havia nenhum ladrão e ia buscar as coisas que a mãe pedia sem sentir medo.

Umas semanas depois, apercebeu-se que na verdade, a causa do medo era um pensamento! Se a menina pensasse que estava um ladrão no escuro, ela sentia medo. Se não pensasse que havia um ladrão, não sentia medo. Percebeu que o medo vinha de um perigo imaginário e que, ao escolher o que pensar, podia não sentir medo e ser mais feliz. Então decidiu não pensar que havia um ladrão. Desde esse dia, começou a atravessar a casa no escuro sem precisar de acender a luz e sem sentir medo!

O Ginja ficou maravilhado com a flexibilidade com que esta criança usou os vídeos para ter uma vida mais feliz e muito emocionado com a sua força de carácter.

meninoEra uma vez um menino de 7 anos que às vezes se deixava arrastar pelas emoções. Quando isso acontecia, a mãe dizia pára e respira fundo" e não funcionava. Uns dias depois de ver o episódio 5, o menino estava a ficar com raiva, e a mãe dele, a brincar, fingiu que estava a chamar o Ginja: "Socorro Ginja, vem depressa, o D. está a ser arrastado por uma onda de emoções, ajuda!" O menino sorriu e a raiva dissipou-se em vez de ganhar força. A mãe ficou contente por arranjar esta forma divertida de entrar no mundo do menino e de lhe chamar a atenção. Desde então, o menino já não se deixa arrastar pelas emoções.
meninaEra uma vez uma menina de 4 anos que tinha aprendido a andar de bicicleta. Um dia, parou em frente a uma descida grande perto de casa. Dizia à mãe que lhe doía o pé, que lhe doía a barriga, que queria voltar para casa. A mãe lembrou-se do episódio 6, em que o Sabichão tem medo das ondas e arranja desculpas como "se eu fizer surf, vou ficar todo molhado." A mãe lembrou a filha do episódio e perguntou como se estava a sentir. Tal como o Sabichão, a menina reconheceu que na verdade estava a sentir medo, deu um nome à emoção, e o medo já não a controlava! A menina sentiu alívio, prestou bem atenção à bicicleta e à estrada, e fez a descida de bicicleta toda contente.
menino

Era uma vez um menino de 4 anos com leucemia, uma doença grave. Ia todos os meses ao Instituto Português de Oncologia para ter um tratamento de quimioterapia. Tinha muito medo das agulhas e costumava gritar e espernear no consultório quando chegava a hora. Depois ele viu o episódio 8, em que o Ginja mostra que não podemos controlar os acontecimentos mas podemos sempre escolher o nosso comportamento. Na próxima visita, ele respirou fundo, disse "eu posso escolher" e ficou sentado sem se mexer durante a picada. Olhava orgulhoso para a mãe e dizia, "Portei-me bem, não portei?" A mãe concordou, muito emocionada. As enfermeiras achavam que parecia outra criança. No mês seguinte, também se portou muito bem. Até o médico na consulta notou a diferença e perguntou à mãe, "O menino cresceu e mudou muito, o que aconteceu?"

O Ginja também ficou muito emocionado com esta história e inspirado pela força de carácter desta criança.

meninaEra uma vez uma menina de 10 anos que gostava muito dos episódios do Ginja. Infelizmente, ela demorava muito tempo a adormecer e tinha muitas preocupações na cabeça. Um dia, depois do episódio 14, tentou ouvir a meditação ("body scan") seguido por todas as canções do Ginja para dormir. Achou que o "body scan" a relaxava e que as músicas a ajudavam a adormecer. Começou a fazer isto todas as noites e diz que nunca consegue ouvir a última canção! Agora a menina adormece em menos de 13 minutos, a duração da meditação e canções. E realmente quando a mãe vai lá buscar o telemóvel que toca as canções a menina já está a dormir porque nem dá pela presença da mãe.